quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Agrião - Um Amor Antigo

Amo verduras, a maior parte delas, mas a minha preferida é o agrião: na salada, refogado, na sopa, em tempura, são muitas as opções.

Desde que nasci, Vera Viana, minha mãe, me criou na alimentação macrobiótica. Ela conta que estava apreensiva ao me levar à primeira festinha infantil, imaginando que eu ficaria doida com aqueles salgadinhos e docinhos "irresistíveis". Ao chegar na festa, olhei para a mesa de quitutes e falei: "Mamãe, que festa sem graça... Não tem agrião!"

Desde então, nunca larguei esse verdinho.

Hoje passarei a receita de uma das minhas formas preferidas de preparo: oshitashi de agrião. Já postei por aqui a receita de oshitashi de acelga.  "Oshitashi" é uma forma de salada japonesa na qual a verdura é branqueada (passada na água fervente) antes de ser temperada com algum tipo de molho.

Esta é uma ótima forma para quem não gosta do excesso de picância do agrião cru.

Fotos de Bruno Ayub.

A receita serve 4 pessoas.




terça-feira, 12 de julho de 2016

"Iogurte" Fermentado de Coco

Ano passado postei a receita do Iogurte de Coco e Frutas Vermelhas, receita da querida nutricionista Camila Freire. Várias pessoas fizeram e aprovaram!

A receita de hoje é baseada na anterior, mas utilizo o tibico (também conhecido como kefir de água) para fazer uma fermentação caseira e agregar probióticos ao "iogurte".


Foto de Bruno Ayub
 INGREDIENTES:

- 250g  de coco seco (aproximadamente a polpa de 1 coco seco grande)
- 550 ml de água
- 1 e 1/2 colher de sopa de agar agar (alga para gelatina)
- Extrato de baunilha em gotas ou a própria fava (opcional)
- 100 ml da água de kefir
- 1 limão
- 100 ml de qualquer leite vegetal












segunda-feira, 2 de maio de 2016

Arroz de Forno a la Vovó Eda

Confesso que nunca fui muito fã das sardinhas... Até que, em 2013, fomos passar a lua-de-mel em Portugal.

Demos chance a esse pequeno (e forte) peixe e ele nos conquistou.

Em Portugal, é comum preparar as sardinhas em uma espécie de churrasqueira, na brasa.

Sardinhas do pequeno e tradional restaurante Cova Funda.
Além disso, há lojas especializadas em vender sardinhas enlatadas com vários temperos. São bem melhores que as conservas produzidas no Brasil. Duas lojas legais em Lisboa são Conserveira de Lisboa e Loja Portugueza.

Voltando ao Brasil, resolvi testar uma receita de arroz de forno de minha avó Eda com as sardinhas enlatadas trazidas de Portugal. Minha avó faz esse arroz desde que eu era pequena e era uma das poucas ocasiões em que eu comia sardinha.

Resultado: virou prato quase semanal nas jantas de casa! Já consegui encontrar algumas latas de boas sardinhas portuguesas no Brasil e volta e meia tenho a sorte de ganhar alguma latinha de presente de amigos caridosos que passeiam por Portugal. Também é possível fazer a própria conserva em casa. Qualquer dia, posto a receita aqui.

A receita deste arroz de forno também é ótima para aproveitar aquele resto de arroz cozido da geladeira ou o molho de tomate que sobrou da macarronada do fim de semana.



terça-feira, 5 de abril de 2016

Salada de Moyashi com Pepino



Esta salada é super refrescante e ótima para acompanhar a refeição. A receita é simples e rápida! 

Aqui em casa, não gostamos muito do sabor do moyashi (broto de feijão) totalmente cru. Então, esta receita faz parte do cardápio semanal. Também gosto de fazê-lo refogado (receita aqui) ou no sukiyaki (receita aqui).

A quantidade, como acompanhamento, serve bem 3 pessoas.


INGREDIENTES:

- 250g de moyashi cru (broto de feijão)
- 2 colheres de sopa de shoyu
- 1 colher de óleo de gergelim torrado (se não tiver, pode substituir por azeite)
- 1/2 pepino japonês
- suco de 1/2 limão
- 1 colher de chá de sal



terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Salada de Soba

Em novembro do ano passado, fizemos um evento em parceria com nossos amigos da Cafeteria/Galeria de Arte Objeto Encontrado. Uma das opções do menu era a Salada de Soba:


Resultado: as pessoas curtiram tanto a salada que já estou devendo a receita para uma galera. Por isso, hoje é dia de pagar a promessa!!!

Só uma ressalva: apesar de o soba ser feito com trigo sarraceno (que não é um trigo de verdade), também contém farinha de trigo comum, ou seja, tem glúten. Assim, não deve ser consumido pelos celíacos. 

Mas há esperanças. Um amigo disse que já viu para vender macarrão só com farinha de sarraceno... 

Essa salada é bem nutritiva e refrescante, pois leva limão e tahine, creme de gergelim, rico em proteína. 

Finalmente, vamos para a receita! Rende 2 porções.

Dashi (caldo japonês)

O dashi é o caldo básico da culinária japonesa. Ele entra no preparo de caldos, sopas, cozidos, entre outros. Um bom misshoru, por exemplo, sempre leva dashi.

Já usamos em algumas receitas aqui no Tampopo Gourmet, mas achei que ele merecia uma postagem exclusiva, mesmo sem fotos.

O dashi é responsável pelo sabor umami da comida japonesa, conhecido também como o quinto sabor. Esse link explica um pouco do que seria esse sabor: http://www.portalumami.com.br/alimentos-umami/.

Existem caldos prontos de dashi para vender, mas, geralmente, possuem aditivos químicos, principalmente, o glutamato monossódico (ajinomoto) sintético. Por isso, é muito mais saudável e saboroso fazê-lo em casa.