quarta-feira, 13 de maio de 2015

PAD THAI - Versão Tampopo

Não conheci ainda nenhum lugar legal para comer comida tailandesa em Brasília. Por isso, o jeito é aventurar-me em casa com receitas da web e referências de pratos provados em viagens por aí...

Em Nova Iorque, comi uma espécie de "pad thai" vegetariano vietnamita delicioso no restaurante Gobo. Desde então, tento encontrar uma receita que chegue a um resultado parecido. E daí nasceu a versão de Pad Thai Tampopo: ácido, apimentado e levemente adocicado. 

A receita tradicional de Pad Thai leva molho de ostras, mas tenho preferido evitar esses molhos prontos de prateleira de mercado, principalmente por causa dos conservantes e outros produtos químicos. Cheguei até a testar o molho pronto de Pad Thai, mas além da implicância com os produtos prontos, achei muito doce.

Na versão vegetariana, é só não colocar camarões nem o katsuobushi (flocos de peixe bonito) no molho. O macarrão para Pad Thai é feito de arroz, por isso, não contém glúten.

As quantidades da receita servem bem 2 pessoas.





INGREDIENTES:

1/2 pacote de macarrão para PAD THAI (uso da marca Real Thai)
200g Moyashi (broto de feijão)
Nirá a gosto (ou cebolinha + 2 dentes de alho picados)
1 cenoura
100g de ervilha torta
1 pimenta dedo-de-moça
1 cebola roxa
7 shitakis fatiados (versão vegetariana) e/ou 10 camarões médios.
1/2 colher de chá de sal
óleo vegetal para refogar (o quanto baste)
30g castanha de caju torrada ou amendoim
1/2 colher de sopa de óleo de gergelim
1/2 limão 

Para o Molho: 
2 colheres de sopa de de pasta de tamarindo ou 3 de molho ou suco concentrado de tamarindo
1 colher de sopa de sake
3 colheres de sopa de shoyu
1 ½ colher de sopa de açúcar de coco (ou mascavo ou mel)
1 colher de sopa de vinagre de arroz 
1 colher de café de pimenta vermelha (chilli) em pó (opcional)
1 colher de chá de katsuo - flocos de peixe bonito (opcional - mas dá um gostinho especial)
1/2 colher (sopa) de gengibre ralado (opcional)


MODO DE FAZER:

Picar a cebola, a pimenta, o cogumelo, a cenoura, a ervilha torta e a nirá, como na foto a seguir: 


Em uma panelinha, misturar todos os ingredientes do molho e levar ao fogo até levantar fervura. Desligar e reservar.

Colocar o macarrão em uma bacia e cobrí-lo com água morna por 5 minutos (esse tempo pode variar de marca para marca). Em seguida, enxaguar em água fria e deixar escorrendo. Geralmente, fervo 1 litro de água e depois deixo esfriar por uns 5 minutos antes de jogar no macarrão. Durante o tempo em que o macarrão estiver na água, mexê-lo vez ou outra para separar os fios. É importante que fique al dente, pois ainda cozinhará um pouco mais quando for para a frigideira.


Aquecer uma panela wok (ou frigideira) em fogo alto, untada com óleo (gosto de usar o de girassol) e, quando quente, acrescentar a cenoura, a cebola, a pimenta e o cogumelo, tentando deixar todos os ingredientes em contato com o fundo para dar uma caramelizada e mexer após uns 30 segundos. Quando o cogumelo der uma murchada, acrescentar a ervilha torta e a nirá.







Em seguida, acrescentar o moyahi, o macarrão e o molho e mexer para misturar.




Provar o sal. Caso necessário, colocar uma colher de sopa de shoyu a mais.






Caso se opte por acrescentar camarão, grelhá-los com sal e pimenta do reino em uma frigideira untada com azeite.



Adicionar os camarões ao pad thai, misturando bem para pegar o tempero, mas tomando cuidado para não quebrar o macarrão. 




Desligar o fogo. Os último passos não podem ser demorados para não amolecer o macarrão demais. Inclusive, para não demorar muito, pode-se grelhar o camarão antes de inciar a fase de refogar o Pad Thai.  




Por fim, expremer  algumas gostas de limão e salpicar as castanhas de caju picadas por cima do Pad Thai. Servir imediantamente com pedaços de limão para serem expremidos sobre o prato a gosto.

Bom apetite!


DICAS:


a) A pasta de tamarindo pode ser encontrada em lojas de produtos orientais, mercados naturais ou supermercados. Dê preferência para aquelas sem conservantes. Há também a opção de se comprar molho de tamarindo, porém nunca vi opções sem conservantes. Uma opção um pouco mais trabalhosa, é fazer um suco concentrado de tamarindo em casa.

b) O macarrão para Pad Thai THAI é feito de arroz (sem glúten) e tem o formato parecido com o talharim. 

c) Outra opção para os amantes dos ovos em mexidos, é quebrar dois ovos no início do refogado. Ao final, teremos ovos em pequenos pedaços, agregando sabor à receita.


d) Para grelhar o camarão, aquecer a frigideira, adicionar azeite/óleo para untá-la, e distribuir os camarões, de forma que todos estejam em contato com o fundo da frigideira. Aguardar a cor dos camarões mudar até mais ou menos a metade do lado de baixo e virá-los, deixando mais o tempo suficiente para dourar do outro lado. O ideal é que não estejam completamente cozidos por dentro, pois continuarão o cozimento com o calor ao serem acrescentados ao pad thai.

e) Os flocos de peixe bonito seco podem ser encontrados em qualquer mercearia que venda produtos orientais. 

Flocos de peixe bonito.
















O ideal mesmo é usar o peixe ralado na hora, mas não encontrei nem o katsuo nem o ralador para vender no Brasil ainda. O meu veio diretamente do Japão. O blog Washoku explica um pouco mais sobre o katsuobushi.

Peixe bonito recém ralado  e tofu temperado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário