quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Um desejo para o Novo Ano: Mais Comida de Verdade!

Hoje não postarei uma nova receita, mas um desejo para o Novo Ano: que as pessoas possam comer mais comidas de verdade! #comidadeverdade #comidadeverdade #comidadeverdade

Se for para comer molho de tomate, que seja feito em casa! Preferencialmente, com tomates orgânicos.

Se for para comer massa, experimente fazer uma vez com as próprias mãos! Mesmo tendo excelentes marcas no supermercado, você terá a chance de comer uma massa caseira (com sua textura especial) e se orgulhará de ter feito.

Talharim tradicional e fettuccine com tinta de lula.
Se for para doce, crie o seu em casa e tente fugir dos diversos aditivos químicos ou super açucarados dos mercados!

Se quiser comer batata frita, frite a batata!

E assim vai... O tomate seco, por exemplo, embora seja demorado, fica mais barato se for feito em casa, com a vantagem de poder usar  tomate orgânico.

Tomate seco
Independente da linha alimentar que prefiram seguir, desejo a todos: menos refrigerante, menos suco de caixinha, menos gordura hidrogenada, menos chocolate de mentira, menos açúcar, menos laticínios, menos comida pronta!

Claro que a vida hoje em dia é corrida e, muitas vezes, as pessoas são obrigadas a recorrer a comidas mais práticas e nem cheias de produtos para realçar sabor, para conservar os alimentos por mais tempo, para dar texturas, para dar cor, etc., mas PERMITA-SE! Reserve um dia na semana, no mês, que seja no ano, para fazer algo especial e de verdade para você e para as pessoas à sua volta. É prazeroso, é saboroso e muito mais saudável! É uma forma de amar...

Por fim, deixo uma sugestão beeem mais trabalhosa e demorada, mas encantadora: experimente fazer seu próprio pão (desde que não seja intolerante a glúten). Essa tarefa deixei para meu marido Bruno Ayub (super parceiro nas minhas loucuras de fazer tudo em casa) e ele está se saindo muito bem! Minha mãe o presenteou com o livro PÃO NOSSO, de Luiz Américo Camargo, crítico de gastronomia do Estadão.


O livro ensina a fazer o Levain (fermento natural) e traz diversas receitas de pães. Tem para todos os gostos! Olhem que lindos os pães que Bruno fez:

Pão Integral

Baguette
Com isso, desejo um Ano Novo cheio de Luz a todos, com muita saúde, muita Luz, muito amor e muita comida de verdade! Aventurem-se!!!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Missoshiro de Tofu

Meu marido e eu passamos 12 dias no Japão agora em novembro e, com isso, voltei mais apaixonada ainda pela culinária japonesa. É muita delicadeza e sabor reunidos! Aos poucos, tentarei postar algumas experiências e curiosidades gastronômicas.

Por hora, postarei a receita do missoshiro, sopa tradicional na culinária japonesa e super nutritiva, à base de missô, uma pasta salgada de soja fermentada.

Desde criança, minha mãe fazia missoshiro para mim, inclusive nos cardápios de café da manhã. Sim, os japoneses iniciam seus dias com verdadeiras refeições, com direito a arroz e peixe. 

Bom, mas independente do horário em que será consumida, vale a pena fazer essa sopa. Talvez, para alguns, seja necessário um tempo para se acostumar com o sabor um pouco diferente se comparado com a cozinha ocidental. Todavia, depois pode acabar virando um vício.

A receita a seguir é a combinação mais tradicional, mas há diversas variações de recheios que podem ser usados.