sábado, 26 de novembro de 2011

O Pequi

Polêmico, nutritivo e cheio de personalidade, o pequi é fruto típico do cerrado brasileiro e figurinha carimbada na culinária goiana e mineira.

A publicação Alimentos Regionais Brasileiros do Ministério da Saúde (página 98) apresenta os detalhes nutricionais desse fruto e de vários outros ingredientes do cerrado.

A polêmica do pequi está em duas questões:

a) O fruto possui espinhos internos que, se o pequi não for roído adequadamente, podem se grudar à língua e à gengiva. Basta roê-lo suavemente até que a fruta apresente uma resistência um pouco maior ao dente. Nunca mordê-lo!

b) O sabor é realmente forte e ativo. Ao comê-lo, a pessoa ainda passa algumas horas se lembrando dele, devido ao fato de sua digestão ser mais lenta. Daí a brincadeira popular de que pequi é bom para a memória.

Por sua forte personalidade, o pequi não passa desapercebido: ou é amado ou é odiado.

Vale a pena, ao menos, experimentar.


 
RECEITA BÁSICA:

Colocar os pequis em uma panela e cobrir com água.

Cozinhar por 10 minutos.

Acrescentar sal a gosto e cozinhar por mais, aproximadadente, 10 minutos.

Pode ser comido puro ou utilizado para fazer outros pratos, como o famoso arroz com pequi. Muitas pessoas não gostam do pequi, mas gostam do sabor que ele dá ao arroz.

Experimente e descubra!

Bom apetite!

 

domingo, 6 de novembro de 2011

Peixe Frito

Pode não ser a forma mais saudável, mas um peixe frito, bem sequinho, tem o seu lugar na mesa...

A vantagem é que fica bom com a maioria dos tipos de peixe branco, não precisando ser de espécie nobre.

Rápido de se fazer e gostoso, é uma ótima receita para aqueles dias em que não se tem muito tempo a perder.

Para aliviar a consciência, é sempre bom ter uma salada bem verdinha como acompanhamento.

Boa pedida para o feriado!


INGREDIENTES:

Filé de peixe branco
Fubá
Sal
Pimenta do reino
Limão
Óleo


MODO DE FAZER:

Cortar o filé em pedaços de 10 a 15 cm. Cinco minutos antes de fritar, temperar com sal e pimenta do reino.


Cobrir o fundo de um prato com fubá e passar os filés de peixe, de modo a cobrir todos os lados. Em seguida, dar uma batidinha no peixe para tirar o excesso.


Colocar uns 4 dedos de óleo em uma panela (o suficiente para cobrir o peixe quando for fritá-lo) e esquentá-lo. Em seguida, colocar os peixes para fritar. Colocar de 2 a 3 pedaços por vez, dependendo do tamanho da panela. Ir virando o peixe para dourá-lo de todos os lados.

O óleo não pode estar muito frio para o peixe não ficar muito oleoso e nem muito quente para não queimá-lo por fora e deixar de cozinhar por dentro.

Colocar os pedaços sobre um prato coberto com papel toalha par tirar o excesso de óleo.

Servir com limão.

Bom apetite!!!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Bacalhoada da Vovó Eda!

Esse é um prato que é feito na casa da minha avó desde que me dou por gente, assim como o Arroz com Pequi.

Eu só coloquei ovos de cordorna e tomatinho sweetgrape a mais. No mais, é quase a mesma receita que a vovó faz. 
É importante usar um bacalhau de boa qualidade para que fique macio e saboroso...

São muitos ingredientes, mas não é uma receita complicada.

Experimente!!!



INGREDIENTES:

1 kg de lombo de bacalhau
15 batatinhas pequenas
6 dentes de alho descascados
3 cebolas descascadas
15 cebolas charlotte (aquelas pequenininhas)
10 ovos de cordorna
1 pimentão vermelho
1 pimentão amarelo
15 tomates sweetgrape
2 tomates orgânicos
10 azeitonas pretas
4 pimentas dedo-de-moça
sal
pimenta do reino
Azeite de oliva extra-virgem


MODO DE FAZER:

Dessalgar o bacalhau (vide dica "a") ou usar um que já seja vendido dessalgado.

Ferver água e jogar o bacalhau, deixando-o cozinhar por aproximadamente 2 minutos, apenas para dar um leve cozimento.

Colocar as batatinhas em uma panela e cobrir com água. Cozinhar até que fiquem cozidas, mas consistentes. Elas também podem ser preparadas no vapor.
Cozinhar os ovos de cordorna (vide dica "c") em água fervente por uns 12 minutos e depois descascá-los. Para facilitar o processo, mergulhar os ovos em água fria antes de tirar a casca.

Cobrir o fundo da travessa com azeite. Distribuir o alho cortado em fatias finas. Em seguida, distribuir as cebolas charlotte cortadas ao meio, as batatas cozidas, os tomates sweetgrape e metade dos pimentões cortados em rodelas finas.

Acrescentar uma pitada de sal e pimenta do reino.


Distribuir os lombos de bacalhau sobre o recheio.


Acrescentar outra camada de cebolas charlotte, pimentão e batatinhas.  Distribuir três pimentas dedo-de-moça inteiras e outra picadinha (sem semente).


Por cima de tudo, colocar as cebolas em meia-lua, os tomates orgânicos cortados em rodelas, as azeitonas e os ovos de cordorna. Acrescentar sal e pimenta-do-reino. Temperar a gosto. Caso o bacalhau tenha sido dessalgado em casa, prová-lo antes, pois ele pode conter ainda muito sal, sendo importante o cuidado no momento de finalizar o tempero. Regar a travessa com umas 5 colheres de sopa de azeite.


Pré-aquecer o fornopor 5 minutos. Cobrir a travessa com papel alumínio e levar ao forno 40 minutos a 200°C.

Retirar o papel alumínio e deixar mais aproximadamente 15 minutos no forno, até que os legumes estejam bem assados. Tomar cuidado para não ressecar demais. No momento da retirada do papel, pode-se experimentar os legumes e o bacalhau para verificar se há a necessidade de acrescentar mais sal.


Servir com arroz com brócolis ou branco, salada e um bom azeite extra-virgem...

Bom apetite!!!


DICAS:

a) Para dessalgar o bacalhau, utilizar as dicas desse site: Dicas de Bacalhau. O autor indica o tempo necessário para dessalgue para cada tipo de apresentação do bacalhau (posta, posta alta, lascas). O desenho dos relógios indica de quantas em quantas horas deve ser trocada a água na qual o bacalhau fica de molho.

b) A quantidade apresentada serve 4 pessoas. As fotos são de uma bacalhoada feita com duas receitas, servindo bem umas 8 pessoas. 

c) Para quem nunca cozinhou ovos de cordorna, clique aqui para ver um vídeo bem explicadinho.

d) Gosto de um azeite que dá um sabor ainda mais especial ao bacalhau: Azeite-Portugal Galega da Herdade do Esporão. Às vezes, encontro no supermercado Pão-de-Açúcar.

e) Minha amiga Regina deu uma dica boa: cozinhar a cebola e a batata na água de fervura do bacalhau. Assim, ficam mais macios e já pegam o gostinho do bacalhau.